sábado, 5 de novembro de 2016

Toando

A minha
Tristeza
É tão grande
Que não sei
Se cabe em mim
A fé
Continuo bêbado
Soluçando
Intercalando
Autossuficiência e
Mendicância
Estou
Um sujeito
Destruído...

Sua voz

A sua voz
             En
                 Canta
Há canto
             Na sua voz
A sua voz
              Me lança
E me traz
             De volta
                       A sua voz
                                   Sua voz
                                             Sua voz
                                                        Sua voz
                                                                  Sua voz
                                                                             Sua voz

Poesia de uma palavra só

"Voltei"...

Perda de tempo

Eu quero
É
Perder tempo
Com você
Fazendo carinhos
Nos seus cabelos
Vendo fotografias

Maria Bonita

Não sei
Não sei
Não sei
Não sei
Se quero
Outra
Maria Boneca Bonita
Posso
Não morrer
Com ela.

Boneca de porcelana

Fui brincar
Sério
Com uma
Boneca de porcelana
Quase me destruí...

Saudade

Você continua
Aqui
Não vou
Desistir
Ainda que
De manhã
Por gosto
Disfarço o choro
Finjo que é
Sereno
À tarde
Seca
Boca da noite
Ouço meu soluço
A solidão
Me deixa
Chorar alto

Derrota

Perdi outra vez
Tantas vezes
Que
Não sei mais
Pra quem...
(Acho que
Sempre foi
Para mim mesmo...)

Solidão

A solidão
Reapareceu
Fazendo cobranças
Vai ver era
Fim de mês
E ela por isso
Trazia juros
Muito caro para pagar...