segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Saída da festa

Alta madrugada
o uivo
do lobisomem
naquela noite
de lua cheia
e de acordes juninos
lembravam que
precisava partir
o vento frio
que iniciava
anunciava
trovões e
raios - cicatrizes dos céus
Saída apressada
caminho da roça
carregando comigo
Maria
a espingarda
e
o facão
Chegaria em casa
molhado...


Cotidiano

Conversa
a toa,
sobre o nada
 na hora do almoço:
Livros,
História
futebol,
outro livro,
viagens,
Livro,
história do cangaço,
revistas,
viagens,
Livros,
projetos,
produções,
textos,
poesia,
viagens,
Filhos,
casa,
apartamento,
casa,
dinheiro,
projetos,
viagens,
Futebol,
filhos,
futebol,
filha,
sobremesa,
Conta,
gorjeta,
trabalho...


sábado, 29 de setembro de 2012

Sombrinhas

Um mar
de sombrinhas
multicoloridas
Anunciava o
fim da missa
Era pouco
mais de
Meio-dia
E de lá do
Alto do morro
via-se
Mulheres que
se
Misturavam
E davam
ar de praia
àquele
calor de
35ºC
Do nosso
sertão
Nordestino
Uma fotografia
enganadora...

sábado, 1 de setembro de 2012

Cores


Da cor da Lua
De Marte
Da índia nua
Da cor
Da carne (marvada carne)
Crua
Do batom
(tua boca)
Da cor da faca
Sua
Da cor dos
Brilhos
Azul
E dos espíritos
Amarelo
A Cor do inverno
Verão
Da cor dos seus olhos
Mel  então
Da cor da trilha
Que vem
Que vai
Dar em
Paixão.

domingo, 26 de agosto de 2012

Manhã de Agosto

Frio...
De duas camisas!
De resfriado
gripe
febre e tosse. Muita tosse.
Frio
de
leite quente,
chocolate
quente. Acompanhado.
Frio de
tempo incerto.
De gente
faminta
pelas ruas,
De cachorro
solto
pelas ruas,
De escadas e
gatos pretos.
Frio de leão!
Também de
gorros coloridos
e
cachecol.
Frio de baiano:
com sol firme e céu azul
lá pelas oito.
Ainda bem que setembro
logo chega.





quarta-feira, 20 de junho de 2012

Bando Anunciador

Debaixo das copas
 Havia um bando
 À sombra das arvores
 bem ao lado
 da Matriz
 Negros libertos
 Mulheres vadias
 Homens-lobisomens
 Misturavam-se ao povo
 Sertanejo de Fé
 Em orações a Senhora
 Avó de Jesus
 Era o Bando Anunciador
 De mais uma festa de
 Santana!

terça-feira, 1 de maio de 2012

Vans-de-arara

A chegada à
Feira
No ponto do Nordestino
Cada vez mais rara
Era
Um pulo
Para Fora
Do caminhão
Pau-de-arara
Sempre Às cinco
Da madrugada
Era o último
Substituído
Bruscamente
Por
Vans de araras e
Seus motoristas e
Cobradores de gritos estridenetes.

sábado, 24 de março de 2012

Sozinho

A
Minha solidão
Era
Um feitiço
Sonhava
Rodeado
De
Gente
957
Amigos
Todos
On line...

sexta-feira, 16 de março de 2012

Lambe lambe

Sol de
Fevereiro
Na praça do lambe-lambe
Ao
Meio-dia
Cavei um
Coringa
Na mesa
Apostei
zentas
Fichas
Naquela
beleza
Precisava ser
Minha
Alta
Magra
Negra
-Quanto custa a coca-cola?

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

História

Eu mudo
pela minha natureza
De ser histórico
que já sou
no dia
Eu mudo
face o tempo
o espaço
A ação humana
a tensão que ardia
Mudo
História que costruo
Verdades que desconstruia...